Dado comemora triunfo fora e projeta clássico Ba-Vi

Dado Cavalcanti

O Bahia abriu a quinta rodada do Campeonato Baiano com um triunfo por 3 a 1 sobre o Jacobina, atuando no estádio José Rocha, no interior do estado, na tarde deste domingo (09).

Técnico do time de transição tricolor, Dado Cavalcanti se mostrou satisfeito com o desempenho de sua equipe, que, mesmo em desvantagem no placar, manteve a tranquilidade no segundo tempo para virar o jogo e conquistar o triunfo.

“Resultado sempre nos pareceu difícil, podem mesmo perdendo o jogo no primeiro tempo, nossa equipe era superior. Acho que faltou tranquilidade no primeiro tempo, a gente se precipitou um pouco, chutou de forma desnecessária. Exageramos nos cruzamentos na área, que não é um rótulo nosso. No segundo tempo continuamos com o ritmo de jogo. Diferença foi a tranquilidade nas finalizações. Nossa equipe conseguiu reverter um placar adverso, mostrar maturidade de um grupo jovem. A gente conseguiu um êxito importante para a instituição”, falou o treinador.

Titular da equipe sub-23 desde o início do ano, Saldanha marcou seu primeiro gol como atleta profissional, além de ter contribuído com uma assistência na partida. A atuação do centroavante de 19 anos foi valorizada pelo técnico tricolor.

“Saldanha fez um jogo muito bom. Conseguiu ganhar duelos individuais, segurar as bolas. Teve a chance e guardou. E teve uma assistência também. Encaro como naturalidade. Entender e achar que está bom… Precisa trabalhar, desafiar nossos atletas em treinamento para que nos jogos consiga solucionar”, elogiou.

Ba-Vi no dia 1º de março

“Inicialmente nosso propósito é desafogar o calendário da equipe principal. O que projetamos é deixar essa condição do estadual para a equipe de transição e as outas competições para a equipe principal. Falo projetamos porque a gente sabe que as coisas podem mudar. Temos 21 dias à frente sem jogos oficiais. É uma preocupação passada para a nossa direção. Corremos em busca de amistosos. Terça temos um jogo amistoso, sábado tenho outro. Para que a gente mantenha o nível de competitividade com jogos. Vinte e um dia só treinando é muita coisa para uma equipe que já fez cinco jogos”.

Derrotas do time principal

“A gente veste a mesma camisa. Somos a mesma agremiação. A gente divide responsabilidades. Isso é inegável. Estávamos assistindo ao jogo ontem e ficamos triste. Mas é fase. Bahia é muito forte. Tem muita força, muito potencial. Está todo mundo chateado, mordido. Como tudo na vida, as dificuldades um dia passam. Não temos dúvida que vamos nos recuperar, crescer e ter o benefício do torcedor ao nosso lado”.

Ataque jovem

“Encaro como natural, sinceramente. Nosso trio de ataque, o mais velho tem 22 anos. Saldanha é de 1999, Alesson também. Saldanha ano passado estava nos juniores. Alesson é um pouco mais precoce. Essas condições são naturais. Os meninos precisam jogar, entender, passar por adversidades como essa. O gol nos traz tranquilidade. O resultado adverso traz mais pressão, ansiedade. É questão de sequência de jogo”.

Faça seu Comentário

Deixe sua opinião abaixo:

Sobre Bahiaço 2757 Artigos
Veiculo informativo independente sobre o Esporte Clube Bahia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*