Bahia empata contra o Vitória e mantém invencibilidade contra o rival

Jogando com raça e inteligência na tarde deste domingo (11), o Bahia, depois de ficar duas vezes atrás no marcador, conquistou um importante empate em 2 a 2 contra o Vitória, com torcida única, no Barradão.




O resultado, pela 33a rodada do Campeonato Brasileiro, manteve a invencibilidade do Tricolor contra seu maior rival, agora em 10 jogos. A última derrota foi em 27 de abril de 2017. De lá para cá foram 6 triunfos e 4 empates.

Com 41 pontos na tabela, o Esquadrão avançou para a 11a posição, a seis pontos da zona de rebaixamento e da área de classificação à pré-Libertadores. O próximo compromisso do Bahia no Brasileirão é nesta quarta-feira (14), contra o Ceará, às 20h (horário da Bahia), na Fonte Nova.

O primeiro tempo começou com o Vitória marcando logo no início, aos 7, com Léo Ceará após cobrança de escanteio. Atrás no marcador, o Bahia teve que sair para a partida com o adversário recuado, mas teve muita dificuldade de ir ao ataque.

Somente a partir dos 30 minutos o Tricolor passou a impor mais seu estilo de jogar, ainda que sem criar muitas chances. Rondando a área do rival com mais frequência, chegou ao gol de empate numa falta sofrida por Elber próxima à área, pela esquerda, aos 38. Na cobrança, Ramires cobrou com perfeição e o volante Nilton fez de cabeça, entrando em velocidade.

Na etapa final, mesmo sem mudanças na escalação, o Esquadrão voltou melhor e controlou a partida, criando algumas boas oportunidades para conseguir a virada. Contudo, faltou um pouco de sorte, sobretudo a Junior Brumado.

Logo a um minuto, Léo chutou de longe, a bola desviou na zaga e quase encobriu o goleiro. Na cobrança do escanteio, Lucas Fonseca chutou cruzado e por pouco não fez 2 a 1. Aos 7, dessa vez foi Brumado quem aproveitou uma falha de Ronaldo após cruzamento e acertou a trave esquerda chutando da marca do pênalti. Ao 12, após escanteio de Ramires, a chance da redenção, mas o centroavante, sob o travessão, sem marcação e sem goleiro, errou a cabeçada que daria a virada ao Tricolor.

Após a blitz, o jogo deu uma ‘esfriada’, mas era o Bahia o dono das ações. Só que então, num cochilo, Léo Ceará entrou cara a cara com Douglas, aos 21, e fez 2 a 1 para o Rubro-Negro.

O gol do adversário novamente não abalou o Esquadrão, que partiu para tentar o empate e conseguiu com o menino Ramires. No lance, aos 25, outra vez o goleiro do Vitória saiu errado em um cruzamento, Edigar Junio tentou de bicicleta e a bola sobrou nos pés do meia, na entrada da pequena área, chutar com força para o gol.

O rival partiu desesperadamente para o ataque e só ameaçou uma vez o gol de Douglas, num chute de Neílton desviado por Grolli para escanteio. Fora isso, o Tricolor atuou nos contra-ataques e parecia sempre mais próximo do 3 a 2 que o adversário, mas faltou ‘encaixar’ o último passe para conseguir o tento. No fim, o 2 a 2 foi celebrado pelos atletas, que terminam o ano invictos em duelos contra o maior rival.

O Bahia atuou com: Douglas; Nino (Bruno), Douglas Grolli, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Nilton, Ramires, Zé Rafael (Flávio) e Élber; Junior Brumado (Edigar Junio).

Faça seu Comentário

Deixe sua opinião abaixo:

Sobre Bahiaço 1990 Artigos
Veiculo informativo independente sobre o Esporte Clube Bahia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*